[RESENHA] O Oceano no Fim do Caminho

17 de julho de 2019

Olá Leitores!

Páginas: 208 |Editora: Intrínseca |Autor: Neil Gaiman | Ano: 2013



Um homem já velho volta a antiga casa que morava quando criança. Lá, ele relembra o que viveu em seus dias mais infantis. A princípio, nota-se uma nostalgia enorme, já dá para perceber que  você não irá ler esse livro sem seu coração palpitar mais rápido. O homem que visita sua antiga casa, acaba indo direto onde passou seus momentos de infância mais marcantes: na fazenda no fim do caminho de sua amiga Lettie.


"As memórias de infância às vezes são encobertas e obscurecidas pelo que vem depois, como brinquedos antigos esquecidos no fundo do armário abarrotado de um adulto, mas nunca se perdem por completo."
É aí que ele relembra ainda mais seus antigos momentos e começamos a acompanhar essa história que marcou tanto sua vida. Quando ele tinha 7 anos, conheceu Lettie e coisas realmente bizarras começaram acontecer. Não vou me aprofundar muito nos detalhes pois tudo isso faz mais sentido acompanhando direitinho o enredo.

"Eu não era uma criança feliz, ainda que, de vez em quando, ficasse contente. Vivia nos livros mais que em qualquer outro lugar."
O livro é uma mistura de fantasia, nostalgia, aventura e companheirismo. E tudo isso faz com que a história seja bem impactante. Logo após "coisas sem sentido acontecerem" ao redor do garoto, Lettie, que supostamente sabe como consertar tudo, diz que eles precisam deter um monstro que está acabando com a ordem natural das coisas. Tudo o que eles fazem é bastante infantil, porém imagine aventuras como essa para uma criança de 7 anos. Tudo isso ganha um peso monumental, e durante a leitura tentei ao máximo ler pelos olhos de um garotinho.
"Crianças pequenas acham que são deuses, ou pelo menos algumas acreditam nisso e só ficam satisfeitas quando o resto do mundo concorda com seu jeito de ver as coisas."
O suposto monstro que eles precisam deter se transforma em uma nova hóspede que irá morar com o garoto e seus pais. É aí que a história ganha um destaque mais adulto, e se você for não um observador mais aguçado, vai ficar em dúvida sobre o que é verídico e o que não é nessa história.

"Ninguém realmente se parece por fora com o que é de fato por dentro. Nem você. Nem eu. As pessoas são muito mais complicadas que isso. É assim com todo mundo."
A nova hóspede faz de tudo para distanciar o garoto de seus pais, inclusive dando atenção redobrada ao pai do garoto. Há cenas que o garoto presencia e não dá muito crédito, mas que para o leitor dá para saber que são coisas bastante adultas. Não consegui identificar se toda a história foi uma fantasia criada por uma criança de 7 anos ou se foi de fato uma tremenda de uma história cheia de bichos aterrorizantes.

"Algumas vezes os monstros são coisas das quais as pessoas deveriam ter medo mas não tem." 
Isso me confundiu bastante, e tive que reler algumas páginas para tentar entender melhor a história. Mas não tem como evitar aquela sensação de quando éramos crianças e nos aventurávamos. Me agarrei a essa sensação e consegui terminar a leitura, mesmo sem conseguir entender a maior parte.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.