Ordem Vermelha: Filhos da Degradação

9 de abril de 2019


Páginas: 448 |Editora:Intrínseca |Autor: Felipe Castilho |Ano: 2017

Olá Leitores!

Poucos livros nacionais trataram de assuntos tão revolucionários quanto Ordem Vermelha. Em um mundo onde existem várias raças, uma única história é contada: Seis deuses foram os arquitetos do mundo e com isso criaram raças que foram designadas a várias tarefas. A ganância foi consumindo o coração desses seres e com isso se rebelaram. Os deuses se juntaram até se tornarem uma única deusa chamada Una e os castigaram com servidão eterna.

Essa foi uma história repetida por milênios, e até o presente humanos, anões entre outros seres são mantidos no mesmo sistema sem voz para reclamar seus direitos. O livro aborda esse governo abusivo e as consequências dele nas pessoas e retrata isso de forma dinâmica. Sendo fantasia e tendo outras raças, passa a ser uma história não só de assuntos revolucionários como também uma aventura.

Conhecemos Aelian, um humano que já sentiu na pele o tipo de governo que impera sobre sua vida. Ele acaba sendo alvo de diversos acontecimentos, e conhece um grupo de seres que como ele, não aguentam mais viver no tipo de governo me questão. Aelian não é um personagem muito sortudo e quando imaginamos que algo vai dar certo, alguma coisa acontece de maneira drástica.




Embora seja um escravo como a maioria das pessoas, ele passa a integrar uma pequena organização que quer por fim no governo de Una. Até aí a história não me surpreendeu muito, pensei estar lendo só mais um livro sem nada muito interessante. Mas então o livro me deixou perplexa por suas revelações. Não é só um livro de revolução política, ele aborda muito mais temas do que eu pensava.

Aos poucos vamos entendendo como é uma sociedade conturbada por um governo abusivo, o drama de quem não tem nada para vestir ou sequer comer. O livro engloba tudo isso em uma trama que corre contra abusos e luta por sua liberdade. Acompanhamos a trajetória dos personagens e passa a ser impossível não torcer, sofrer e se alegrar com eles.




Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.