O Lar da Srta Peregrine Para Crianças Peculiares

9 de março de 2019


Páginas: 346 |Editora: Intrínseca |Autor: Ransom Riggs |Ano: 2016

Olá Leitores!


Existem diversas séries de livros disponíveis para ler hoje em dia. Alguns deles são de temas variados e contendo toda sorte de histórias que vão fazer você entrar e não querer sair mais. Tive a imensa sorte de conhecer O Lar da Srta Peregrine Para Crianças Peculiares e essa história me arrebatou. Li a primeira vez quando lançou aqui no Brasil em 2016, mas desde então não tive mais contato com os livros da série. Na primeira oportunidade que surgiu, adquiri o livro e reli novamente.

"Eu tinha acabado de aceitar que minha vida seria banal quando eventos extraordinários começaram a acontecer."
Confesso que foi como se estivesse lendo pela primeira vez. O livro é infanto-juvenil, com uma escrita mais simples. É narrado em primeira pessoa por um adolescente de 16 anos. Nessa história Jacob, o protagonista, é um típico adolescente que  é muito apegado ao seu avô. Desde criança ele lhe contava histórias que julgava serem fantasiosas, sobre um orfanato em que viveu na década de 1940.

Esse orfanato era composto das crianças mais peculiares possíveis. Jacob cresceu ouvindo histórias sobre o que essas crianças eram capazes de fazer e depois de um tempo acabou se desacreditando de todas essas "mentiras" mirabolantes. Porém Jacob é assolado por um terrível acontecimento logo no início do livro. Ele presencia a morte de seu avô por circunstâncias aparentemente sobrenaturais, e é assombrado pelas suas últimas palavras que são referências ao orfanato em que seu avô viveu.

"Assim como a das crianças peculiares. Elas eram os deuses naquele pequeno paraíso, e eu era o convidado."
Jacob então corre atrás de vestígios do passado de seu avô para descobrir se todas as histórias que ouviu quando era criança eram de fato verdadeiras. Como o avô de Jacob diz ter vivido em um orfanato peculiar na metade do século XX, ele têm diversas fotos que diz comprovar que seu relato é verídico. E de fato, essas fotos são inseridas na edição do livro. Pode parecer uma ocorrência natural, mas tais fotos são uma das características mais marcantes da história. A maioria contém crianças em cenários envelhecidos, e as fotos são em preto e branco para ressaltar a originalidade da época.

Há um choque de gêneros no livro, pois até a metade é possível perceber um mistério envolvendo toda a trama e nas páginas finais a fantasia se faz constantemente presente. Jacob narra de forma informal, o que me lembra a forma de Percy Jackson narrar. Ambos tem praticamente a mesma faixa etária e por isso pude compará-los.


Existe um filme baseado nesse livro, mas na minha opinião o livro foi bem melhor. Gosto muito de livros desse gênero e os traços de fantasia, mistério e comédia foi o que se destacaram mais. A edição é composta por duas capas, uma removível contendo o nome do livro com uma garota levitando, e uma capa dura fixa de cor vermelha. A escolha das capas serviram ainda mais para preservar essa imagem do livro que é um tanto rústico.

A escolha de denominação para essas crianças que Jacob procura são um tanto diferentes, certo? Elas são primeiramente crianças, que possuem algo que as difere das demais pessoas ao seu redor. Elas fogem e tentam se manter unidas para sobreviver das adversidades impostas sobre suas diferenças. Então além de uma fantástica viagem ao passado, o livro trás uma mensagem de como as diferenças são tratadas e aceitas, muitas vezes fantasiosas e como os monstros vivem à espreita.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.