Lady Killers: Assassinas em Série

1 de março de 2019


Páginas: 384 |Editora: Darkside |Autora: Tori Telfer |Ano: 2019

Olá Leitores!

Esse é um dos livros mais esperados por mim e foi um tormento ter que aguardar para tê-lo em mãos para ler. Lady Killers é um lançamento recente da editora Darkside, mas já tem um grande público ansiando para adentrar nessas páginas tão sombrias.


"Os homens derramam  a maior parte do sangue nos livros de história."
Lady Killers reúne histórias reais de quatorze mulheres que tem uma coisa bastante inusitada em comum: todas são assassinas em série. Isso não é uma característica muito boa para anotar no seu currículo e nos deixa um tanto desconfortáveis saber que mulheres, um ser tão "frágil" e cheio de "delicadeza" seja capaz de fazer tantas atrocidades.

"Mas assassinos em série não são assustadores por serem homens; eles são assustadores porque destroem a ordem." 
Mulheres deveriam casar, ter filhos, cuidar dos seus maridos e apenas isso,  certo? Os relatos dessas assassinas são tirados de uma época em que a mulher era totalmente desprovida de voz e consequentemente inibida de satisfazer suas vontades dentro da sociedade e fora dela. O relato mais recente apresentado no livro, foi no início do século XX. A autora explica que escolheu colher relatos fora de época para mostrar que a mulher é pioneira em assassinatos como em qualquer outra atividade. A escolha da época também foi feita para dar um  ar mais sombrio a cada história citada.

"Devido ao 'mito da passividade feminina', uma mulher que não internaliza sua raiva é muitas vezes vista não apenas como masculinizada, mas como, quase literalmente, um homem."
O livro possui histórias totalmente reais e todas são ricas em detalhes, não há nada inventado e isso faz com que cada parte dela seja ainda mais mórbida. Os  motivos de tais atrocidades acontecerem são diversos, as vezes muito fortes e outras vezes triviais. O fato é que mulher também mata e de várias maneiras diferentes.

"Certamente, todos os assassinos em série da história foram considerados  loucos em algum momento. De que outra forma explicar a violência empreendida repetidamente e com extrema crueldade?'
Podemos perceber que algumas mulheres que não possuem estrutura física iguais à masculina, não se intimidaram por esse fator e escolheram envenenar suas vítimas ao invés de usar a força. Essa é uma questão bastante trabalhada no livro, onde o veneno acaba sendo rotulado como "armas para covardes". Porém houve mulheres ousadas que mataram de forma sangrenta e fria. O  público pode variar, as vítimas das assassinas relatadas eram maridos, filhos, pais, e até mesmo outras mulheres.

"O envenenamento requer planejamento prévio e estômago para uma morte lenta. [...] É a arma dos insensíveis, dos sociopatas, dos realmente cruéis." 
A loucura, a bruxaria, o satanismo, esses foram temas discutidos ao longo dos séculos para explicar o porquê de mulheres cometerem assassinatos, mas a autora passa por cima desses motivos e mostra um lado carnal de cada mulher, evidenciando que todas são seres humanos, capazes de fazer qualquer coisa por qualquer motivo.

"Algumas pessoas tentaram explicar seus crimes em termos muito mais sexistas e, francamente ridículos - talvez porque 'loucura' fosse uma explicação vaga, ameaçadora e, em última  instância, insatisfatória para o assassinato."
Além de todo esse relato, a Darkside disponibiliza mais quatorze histórias, alguns mais recentes e mais próximos do Brasil (um até mesmo no nosso país!), de mulheres assassinas. Vale enaltecer que toda a edição é simplesmente perfeita e a pesquisa minuciosa da editora e da autora transformaram o livro em um dossiê de tirar o fôlego.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.