resenhas

[Resenhas][slideshow]

[RESENHA] A Troca


Olá, leitores!

Páginas: 352 | Autor: Beth O'Leary | Editora: Intrínseca | Ano: 2020 | Gênero: Romance, Comédia | Tradução: Ana Rodrigues | Classificação indicativa: +14

A Troca chegou para mim na edição dos Intrínsecos, o clube do livro da editora Intrínseca. A obra foi escolhida para ser a caixa 024, em comemoração ao aniversário de dois anos do clube. A obra é da mesma autora de Teto Para Dois, um livro ótimo para quem gosta de romance. Para mim, Teto para Dois foi uma experiência boa, mas não me empolgou como eu gostaria. Por isso, fiquei mais do que surpresa quando comecei A Troca e a leitura me cativou desde as primeiras páginas.


A Troca foi diferente para mim começando pelos personagens. Leena é uma mulher bem sucedida, mas passou pelo trauma de perder sua irmã para o câncer e ainda não se recuperou. Ela sofre um ataque de pânico devido a toda sobrecarga emocional, entre outros motivos, que a fazem ser obrigada a tirar dois meses de férias para tentar se reorganizar. Enquanto isso, Eileen, avó de Leena, vive em um lugar calmo, mas aos seus quase 80 anos, quer tentar fazer algo diferente.


A ideia da troca entre as personagens surge através de Leena, que precisa se curar, mas também quer que sua avó tenha a oportunidade de ir em busca de seus objetivos. É aí que ambas trocam de lugares e, enquanto Eileen, uma senhora de 79 anos, vai para a grande Londres, Leena assume as obrigações de sua avó, se mudando temporariamente para o mundo de Eileen.

A adaptação dessas duas é complicada no início, mas é bem interessante observar isso. As duas visões são difíceis para se ajustar neste começo, embora para mim, Eileen se destaca mais. É uma perspectiva diferente, e uma abordagem nova do que costumo ler em livros ou ver em filmes de comédia romântica. A leitura é surpreendentemente fácil, e os dilemas das personagens variam entre os mais densos, se tratando do luto, aos mais descontraídos, em relação às adaptações de cada uma nesta nova vida.


Dois meses são mais do que suficientes para que Leena e Eileen façam novas aventuras. Os objetivos de Eileen são focados na sua vida amorosa, que foi uma das buscas mais divertidas de acompanhar. Um dos pontos discutidos na obra, é sobre a estranheza que é quando um idoso quer viver novas aventuras ou conhecer novas pessoas. Eileen assume bem esses dilemas, sempre pontuando que nunca é tarde para corrermos atrás de nossos objetivos.



Mas as pessoas jovens costumam achar engraçado que os velhos queiram se apaixonar. Não é maldade, elas só não pensam sobre o assunto, como quando rimos das crianças agindo como adultos, ou como quando maridos tentam ir ao mercado.

Para Leena, ter que viver sob novas responsabilidades e enfrentar o luto, pode ser uma perspectiva mais densa para o leitor, mas nada que deixe a leitura difícil. Leena precisa trabalhar vários pontos durante sua hospedagem na cidade de sua avó, como sua relação com a mãe, que ficou fragilizada desde a perda de ambas.


As duas personagens principais possuem uma proximidade tácita, embora tenham vidas diferentes. Entre as duas, Eileen ganhou minha atenção desde o início, trazendo uma leveza maravilhosa para a leitura. Os personagens secundários tem participações ótimas, com desenvolvimentos em paralelo com as protagonistas. Minha impressão é de que não houve nada que não foi bem desenvolvido, e pude conhecer bem toda a história.


A história foca no romance quando está mais adiante, e foi uma bela adição que me fez adorar ainda mais a leitura. Um deles é um enemies to love (inimigos que se amam) entre dois personagens da terceira idade que me fez rir bastante com suas interações. A outra relação em destaque é de Leena com seu namorado, um tanto lenta no início, porém ganha ênfase maior no desenvolvimento.


O livro tem momentos bastante previsíveis, e lembra alguns clichês que lemos ou assistimos, mas isso não me incomodou. Foi uma leitura para se sentir em casa, diferente e relaxante ao mesmo tempo, tendo protagonistas cativantes, um enredo atual, com discussões densas em uma história leve. A leitura pode ser proveitosa para quem está procurando algo mais divertido para ler e sobre novos começos.


ADQUIRA OS LIVROS DA AUTORA NA AMAZON:

5 comentários:

  1. Oi Leyanne, tudo bem?

    Esse foi um dos meus livros favoritos desse ano. No começo achei que não ia curti muito a leitura e confesso que achei a Leena bem chatinha, mas conforme a narrativa foi evoluindo me vi completamente envolvida com a história e seus personagens.

    Beijos;***
    Ariane Gisele Reis | Blog My Dear Library.

    ResponderExcluir
  2. Oi, Leyanne. Como vai? Que bom que você tenha gostado do livro. Adorei sua empolgação com a obra. Ótima resenha. Abraço!

    http://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Ahhh, parece ser uma leitura ótima para um final de semana. Gosto de personagens assim mais leves que deixam a história mais divertida. A parte do luto com certeza é algo mais denso mas necessário para sentirmos o que a outra personagem está sentindo :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  4. Uau, que livro perfeito! Fiquei doida para conhecer a história afundo! Amei a resenha. <3

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  5. Oi, Leyanne! Tudo bom?
    Eu amei amei amei esse livro. É meu favorito da autora até agora; adorei como ela conduziu a história e as personagens e os dramas de cada uma delas. Aquela cidadezinha foi um AMOR, queria que existisse pra poder visitar.

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir

Dicas de Fantasia

[Fantasia][stack]

3 motivos para ler

[3 motivos][grids]

dicas para blogs literários

[Dicas para bookstagram][btop]

lidos do mês

[lidos do mês][grids]