[RESENHA] Trilogia Subversivo [Livro #1]

4 de setembro de 2019

Olá Leitores!

Páginas: 355 |Editora: Independente |Autora: Gabriela Garrido | Ano: 2018

Subversivo é um livro que tive o primeiro contato a mais ou menos um ano, que foi quando li ele pela primeira vez. A oportunidade de leitura veio com a parceria com a autora Gabriela Garrido. Dessa vez eu quis reler a obra pela proximidade do segundo volume Inversivo (lançamento em 14/09), e pela organização da leitura coletiva promovida.

"O fardo da verdade nunca se mostrou tão pesado de ser carregado."
O que mais me chamou atenção na obra, é que não há heróis, então se prepare para trapaças, assassinatos e anti-heróis. A história é centrada em Dimitri, que é filho do Alfa de uma enorme facção de assassinos. Ele desde pequeno foi criado para matar e assumir o trono da facção Volk, mas  como tem um irmão gêmeo chamado Boris, que apesar de ser parecido com ele fisicamente, é totalmente diferente em diversos outros aspectos, Dimitri precisa passar por tarefas para mostrar seu valor, se provar melhor que o irmão e tomar o posto de Alfa para si.

"Na realidade, um genuíno Sicário nasce ruim, e é induzido pela Volk a alcançar seu pleno potencial - não se ensina a essência, ela é intrínseca ao caráter de um assassino meticuloso, como os de nossa linhagem."
Dimitri apesar de ter sido criado como Sicário e uma arma feita para matar, se sente constantemente culpado diante de alguns serviços que presta para a Volk. Ele se pergunta o que  há de errado nele em hesitar executar aquilo que foi criado para fazer. Como ele almeja a posição mais alta na Volk, seu pai decide que Dimitri e Boris precisam realizar uma última prova para definir quem será o próximo Alfa.

É nessa prova que Dimitri é designado para matar alguns alvos, sem questionar. Um desses alvos é Victória, que tem uma personalidade forte e a quem Dimitri, logo após se infiltrar na sua vida, se apega a ela. É perceptível que Dimitri e Victória não terão um romance convencional. Ele está lá para matar ela, seu tio, e seu irmão. Ele fica em um impasse sobre executar o plano ou polpar Victória.

"Havia algo naquele cara que me dividia, e era odioso admitir a existência de uma pontinha irritante, ali no funfo, que me atraía para seu olhar escuro e predador."
Percebi desde o primeiro instante que iria passar raiva com os personagens. Mesmo sendo os principais, eles acabam metendo os pés pelas mãos em alguns momentos. Fiquei com muito ranço de Boris. Dimitri, apesar de parecer ser esperto, foi bastante bobo em algumas partes. Toda essa minha raiva tem motivo, mas entendo que as coisas que aconteceram foram resultado da construção dos personagens.

"Até nas desgraças éramos parecidos. E eu lamentei internamente nossa nova semelhança." 
Eles passam por bastante coisa, Dimitri passa o livro todo sendo testado, Victória está sendo ameaçada de morte pelo interesse amoroso dela, Boris tem muitas razões para ser o empecilho que é. Então é compreensível que os personagens acabem fazendo besteira. Além disso, o livro tem muitas reviravoltas. Fiquei muito apreensiva em diversas partes por medo de acontecer coisas ruins (o que acontece bastante). Devo destacar que tem coisas presentes nele, que percebi somente depois de reler, coisas imperceptíveis, mas que fazem um sentido melhor na trama.
"Ela era só uma garota em meio ao contexto de destruição e vingança de uma facção sanguinária."
A narração intercala entre Dimitri e Victória, tendo assim uma melhor visão sobre os personagens e a história. A leitura vale muito a pena. Fiquei obcecada quando iniciei e não quis mais largar, só sosseguei depois que acabei e já quero o segundo volume!

Leia também a resenha de O REI DOS ASSASSINOS, um conto do universo de Subversivo AQUI.

ADQUIRA O SEU EBOOK NA AMAZON:

Comente com o Facebook:

6 comentários:

  1. Eiii!
    Eu tenho um relacionamento de amor e ódio com narrativas que intercalam os personagens ahah
    Não conhecia a autora mas acho que já vi o livro pelos blogs da vida. Já fiquei curiosa pelo que está por vir, afinal dois irmãos atrás de um posto de Alfa e um romance no meio, além de não ter mocinhos ou vilões...? adoro isso hahah
    Ah, e quem nunca sentiu aquela raivinha de alguns personagens, né?

    Abraço,
    Parágrafo Cult

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente isso haha! Eu adorei o livro por causa desses fatores.

      Excluir
  2. Oi Leyanne, tudo bem?
    Gostei muito da resenha! O plot me lembrou um pouco Não Pare!, da FML Pepper.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  3. Olá, Leyanne.
    Eu fiquei bastante interessada quando li a resenha de O Rei dos Assassinos. E já anotei aqui para quando der uma brecha aqui nos livros de parceria eu vou adquirir os e-books.

    Prefácio

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.