resenhas

[Resenhas][slideshow]

[RESENHA] A garota da casa ao lado


Olá, leitores!


Páginas: 320 | Autores: Jack Ketchum | Editora: Darkside Books | Ano: 2020 | Gênero: Ficção, Terror Psicológico | Tradução: Ana Death Duarte | Classificação indicativa: +18


Sou do tipo de pessoa que adora saber mais sobre casos criminais. Acho que isso provavelmente pode ser considerado um hobby bem bizarro da minha parte, mas entender a natureza do crime sempre foi algo que me prendeu bastante a atenção. Por isso que essa obra em específico tinha me deixado bem curiosa mesmo sendo fictícia, já que foi baseada em um triste caso de Sylvia Likens nos anos 60.


Foi uma leitura difícil e brutal em que uma grande mistura de sentimentos pesados tomou conta de mim, me fazendo parar e respirar fundo antes de continuar o livro. Tenho o estômago forte e já estou acostumada a ler obras pesadas de terror, mas o realismo tornou ela, em alguns momentos, intragável. Principalmente porque tudo se passa em uma vizinhança comum, nos fazendo crer que algo assim poderia estar acontecendo nesse momento ao nosso lado.


O livro é narrado por David, um garoto aparentemente normal de 12 anos que se encanta por Meg. Ela e sua irmã mais nova Susan se mudaram para a casa de Ruth, uma mulher divorciada (abandonada a definiria melhor) e mãe de três filhos. As meninas perderam os pais em um triste acidente, inclusive Susan ainda carregava consigo as sequelas já que não conseguia caminhar muito bem sem o auxílio de muletas.


David fica completamente encantado pela menina que é apenas alguns poucos anos mais velha, bonita e diferente. Já Meg é uma menina cheia de vida, daquele jeitinho bem "moleque". Os dois vão se aproximando e esse contato inicial de ambos é bem gostoso de ler, o problema é que não demora para a história seguir para um rumo completamente diferente e pesado.




É triste ver o rumo que a história toma. Meg é torturada e abusada de diversas formas possíveis, o tratamento que recebiam de Ruth e seus filhos vai mudando rapidamente chegando à crueldade e ao sadismo. Ruth é a cabeça de tudo. Como é muito permissiva com os filhos e seus amigos, fazendo muita vista grossa para seus comportamentos problemáticos, isso faz com que as crianças gostem dela devido a liberdade que ela lhes dá, afinal, onde mais poderiam beber cerveja e se comportar sem regras?


Não demora para que ela passe a encorajar não apenas os filhos, como também as crianças da vizinhança a maltratarem Meg. A coisa vai ficando tão pesada que a menina é encarcerada porão, onde tudo parece fugir ainda mais dos limites. Ruth vê em Meg o pivô de suas frustrações, uma jovem bonita que rouba a atenção dos homens para si.


Ler as cenas que se passam no porão exigem estômago e psicológico fortes. Estupros, xingamentos, banhos de água fervendo, abusos psicológicos e físicos de todas as formas possíveis, tudo na frente de sua irmãzinha que não podia fazer nada. As duas foram tiradas de um pesadelo onde perderam os pais e jogadas em outro na casa da parente distante.


Como disse antes, toda a história é narrada por David que não fez nada além de assistir. Ele poderia ter ajudado, avisando aos pais ou a polícia, mas não o fez. Mesmo não tendo participado ativamente das sessões de tortura, ele assistia tudo como um voyeur macabro. O leitor não sabe se David não ajudou por medo ou se era porque ele gostava de assistir a tudo, já que assistir a tudo o deixava fascinado. Quando a consciência de David começa a pesar, já é tarde demais.


É um livro pesado e triste do começo ao fim que toca em feridas antigas que continuam abertas até hoje, como o machismo e a vista grossa feita quando alguém - principalmente uma mulher - pede socorro e a religião. A obra nos faz questionar o quanto as pessoas são cruéis e como fechar os olhos e apoiar crimes como esse, que podem estar acontecendo agora mesmo na casa ao lado.


A edição da Darkside está impecável como sempre, e traz uma introdução do Stephen King e ao fim, dois contos bem interessantes. Infelizmente as taxas de feminicídio continuam altas até os dias de hoje. Muitas Megs e Sylvias permanecem vítimas da brutalidade que não dá sinais de diminuir. Foi uma leitura difícil, apesar da escrita simples, que foi mais do que favoritada.



ADQUIRA SEU EXEMPLAR NA AMAZON:

22 comentários:

  1. Oie ! Assim como você, me instiga bastante entender a natureza de crimes. Gostei do livro, e é realmente bem pesado, me deu muita vontade de ler, embora eu não conheça esse caso.

    www.blogresenhando.travel.blog

    ResponderExcluir
  2. Olá, Larissa.
    Diferente de você meu estomago é fraco para essas coisas hehe. Só de pensar nas cenas já fico com ele embrulhado. Por isso não é uma leitura que eu queira fazer hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Que capa maravilhosa! Eu compartilho desse hobby bizzaro então adorei a premissa da história, mesmo parecendo bem angustiante.

    Beijo!
    www.amorpelaspaginas.com

    ResponderExcluir
  4. Oi
    não conhecia, mas pelo que falou parece ser uma história bem pesada, tem que ter estomago para a leitura.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Thanks and keep sharing great content.

    Hijab-style - Puffer Jacket Trend

    ResponderExcluir
  6. Olá...
    Adorei a sua resenha!
    Sempre esbarro com esse livro por aí, mas, ainda não tinha lido nenhuma resenha sobre. Pelos seus comentários parece ser uma leitura bem legal de ler e com certeza me deu vontade de ler também.
    Dica anotada!
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Leyanne! Tudo bom?
    Eu gosto muito de ler thriller criminal, e não sabia que era o caso desse! Mesmo com a inspiração no caso real, não tinha chegado a parar pra ler sobre o que era essa história e agora fiquei bem curiosa pela leitura. Mas como é mais pesada, vou deixar pra um momento em que a vida esteja menos sobrecarregada de ansiedade e tal hahaha

    Beijos, Nizz.
    www.queriaestarlendo.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oie, tudo bem?
    Adorei a dica, curto bastante livros deste estilo!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  9. Nossa, que narrativa forte. Deve ser bem pesada. Pelo menos para mim que leio livros "mais leves" kkkk. Mas muito interessante e curioso...

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá,
    Hoje mesmo eu e uma amiga estávamos conversando sobre amar ler/assistir coisas de crimes reais. Então não se sinta só com seu hobby bizarro. Sou o próprio canal iD haha
    Eu não conhecia muito desse caso. Fiquei curiosa com o livro, mas nossa to horrorizada com essa mulher.

    até mais,
    Canto Cultzíneo

    ResponderExcluir
  11. Oi Leyanne, tudo bem?
    Também adoro ler sobre casos criminais, e thrillers/policiais são meus estilos favoritos. Mas acho que o nível de crueldade que fazem com Meg vai além do que meu estômago aguenta. :(
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  12. Você conseguiu descrever bem a história do livro. Não o conhecia. Eu não conseguiria ler, parece muito pesado. Só de ler a resenha fiquei nervosa e com o estômago embrulhado. Tô horrorizada. T.T

    beijos

    ResponderExcluir
  13. Oie
    Prefiro ler livros mais leves e de preferência de romances. Mas adorei saber sua opinião sobre o livro. A edição está linda.

    Beijinhos
    https://tecendoaliteratura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  14. Menina, me deu agonia só de ler sua resenha, que dirá ler o livro propriamente dito?! =s
    Eu até leria, mas teria que preparar e muito meu espírito para isso, viu?
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  15. Oi Leyanne,
    Infelizmente, não é um livro que chama muito minha atenção. E por ser triste, acho que não estou num bom momento para arriscar. Confesso que não o conhecia também!
    beeijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Oi, Larissa.
    Sua resenha está maravilhosa e amei as fotos, mas definitivamente esse é o tipo de leitura que não teria estômago e nem psicológico pra ler.
    Assisti um documentário do caso e fiquei mau durante a semana toda, imagino que lendo com riqueza de detalhes seria muito pior.
    A edição realmente está belíssima, a Dark sempre arrasa.
    Beijos

    https://tecontopoesia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Sua resenha ficou perfeita, Larissa. Eu amo histórias desse tipo, esse livro parece ser bem pesado. Confesso que quando é assim deixo passar. Essa edição está linda mesmo. <3

    https://www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  18. Oie Ley!

    A capa eu achei maravilhosa, os temas realmente me chamam a atenção, apesar de ser forte, eu gosto de observar como a sociedade mudou em alguns aspectos e continua igual em outros, PORÉM para algumas cenas, eu confesso que passo mal (minha pressão até cai dependendo da descrição, acredita
    acho que leria com cuidado , mas gostei da dica
    por ser triste, acho que leria mais pra frente :')
    to lendo um

    Beijos!
    Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

    ResponderExcluir
  19. *to lendo um que também é mais denso e tambem traz muitas questoes sobre a mulher

    ResponderExcluir

Dicas de Fantasia

[Fantasia][stack]

3 motivos para ler

[3 motivos][grids]

dicas para blogs literários

[Dicas para bookstagram][btop]

lidos do mês

[lidos do mês][grids]