resenhas

[Resenhas][slideshow]

5 motivos para ler (ou correr de) It, a Coisa

Foto: Larissa - @paragrafocult

Olá Leitores!

It - A Coisa se tornou um livro bastante conhecido nos últimos anos por conta das duas adaptações de sucesso para o cinema. Eu conheci o livro por conta da primeira adaptação, aquela lá dos anos 90 com o ator Tim Curry como "Pennywise, o palhaço dançarino" mas me lembro de ter corrido da leitura assim que vi o tamanho do livro: um calhamaço com em torno de 1.100 páginas. Pois então, enrolei e enrolei até que finalmente tomei coragem. 


Como haviam se passado anos que eu tinha assistido a adaptação, resolvi que não assistiria aos filmes novos enquanto não lesse o livro e coloquei isso como meta para 2020. Já não lembrava tanto da história, apenas superficialmente e iniciar a leitura sem saber muito sobre foi maravilhoso e surpreendente, visto que em muitos momentos em me peguei bem chocada com o livro que apesar de ser de ótima qualidade, perde um pouco do ritmo em alguns  trechos.

Agora que terminei a leitura, além de continuar afirmando que King continua na minha lista de autores favoritos, trouxe também alguns motivos que me chamaram a atenção de forma positiva ou negativa durante a leitura.

Motivos para ler:

UM LIVRO SOBRE AMIZADE

É IMPOSSÍVEL falar sobre "It, a Coisa" sem mencionar a amizade do Clube dos Perdedores presente nas páginas do livro. Se tem uma coisa sempre gostei nas obras do King foi a forma como ele consegue criar laços fortes e lindos entre seus personagens (outras obras como O Apanhador de Sonhos que virou um filme terrível ou o conto O Corpo que foi adaptado para o lindo filme dos anos 80 chamado 'Conta Comigo' são a prova disso). O grupo aqui conseguiu se conectar justamente por serem considerados estranhos e excluídos e o fato de serem diferentes dos outros é justamente o que deixa o laço entre eles ainda mais fortes.

A COISA

Quem viu os filmes, provavelmente acha que o Pennywise se resume a um mero palhaço que usa dessa forma para assustar as crianças mas quem leu o livro percebe que ele vai bem além disso. A Coisa não tem uma forma física fixa, ela usa de sua capacidade de mudar de forma para se transformar no maior medo das crianças e assim se alimentar delas. O palhaço assustador que vemos nas adaptações é apenas a forma mais usada por ela (visto que palhaços realmente são assustadores) mas nos livros ela se transforma em um lobisomem, em um leproso e por aí vai, fazendo da vida das crianças um verdadeiro horror.

TEMAS POLÊMICOS

O livro aborda temas pesados que até hoje são considerados um certo tabu para alguns, como homossexualidade, gordofobia, sexismo, violência contra a mulher e racismo através dos garotos. Não é um livro que vai militar sobre ou levantar bandeiras mas soube abordar bem, em alguns momentos de forma mais sutil que outros. 
Cada um dos meninos sofre bullying por conta de algo que não tem culpa: Beverly por não se encaixar nos padrões de garota muito feminina e por ter um pai abusivo e agressivo junto de uma mãe completamente negligente com relação ao que acontece em casa, Stan por ser judeu, Eddie por conta da mãe controladora e super-protetora que fez dele um hipocondríaco medroso, Bill por ser gago, Ben por ser um garoto gordo, Mike por ser negro e Ritchie por não ter papas na língua e usar óculos enormes.

MALDADE

Fica bem claro que A Coisa não é a única vilã da história. Personagens de caráter odioso passam pelas páginas, muitas vezes nos deixando mais enojados do que o próprio Pennywise, como o personagem Henry Bowers e seu pai agressivo e preconceituoso e a forma como ele passou isso para seu filho e como isso influenciava seu comportamento, o pai abusivo de Beverly, seu marido também abusivo, os amigos de Henry e a própria população da cidade de Derry que é o lar da Coisa. 

NARRATIVA

Esse tópico pode ser visto como motivo para se ler ou não então vai contar nos dois. Eu amo a narrativa de King mas sei que muitos podem achá-la arrastada. O autor narra tudo de forma detalhada mas não diria que ele supera o autor Victor Hugo que gasta páginas e mais páginas enchendo linguiça sobre descrições desnecessárias porém isso não muda o fato de que É uma escrita mais parada e lenta. Pelo contrário, apesar do início do livro ter sido um pouco paradão para mim, quando a leitura engatou eu não consegui mais parar. Eu não sei o que ele faz mas consegue nos conectar com os personagens. Você os ama, os odeia e sente o que eles sentem. Cria uma conexão de carinho, entende? Me senti órfã do Clube dos Perdedores quando acabei a leitura. 

Para não ler - ou correr para as colinas:

TAMANHO

O livro é enorme. Ler 1.100 páginas não é algo fácil e definitivamente não é um livro para leitores novos. A leitura em muitos momentos é tensa e carregada, arrastada e não nego que isso pode fazer com que muitos desejem abandonar a leitura, principalmente se não estiverem acostumados com a narrativa peculiar do autor.

AQUELA "VIAGEM" PSICODÉLICA

Sério. Uma coisa que ficou de fora de todas as adaptações para a tv da obra foi a origem da Coisa. Ela é um ser antigo que veio do espaço e que está aqui há muito mais tempo do que se pode imaginar. No final do livro, quando Bill recebe uma ajuda de outra criatura com algumas dicas de como derrotar Pennywise, a cena é completamente maluca. Eu senti que destoou completamente da história (apesar de que uma outra cena supera isso mas falaremos dela depois). Sinceramente, eu ignorei todos esses momentos. Li mas deletei tudo da minha mente depois da leitura para não estragar a minha experiência como leitora. 

GATILHOS

Por abordar muitos temas polêmicos, a história pode conter algumas cenas que para alguns talvez atuem como gatilhos. A maioria desses momentos são com a Beverly, a única garota do grupo. As cenas dela com o pai são completamente incômodas porque o autor consegue deixar ali bem explícito o desejo doentio do pai pela garota mesmo que ele não abuse dela sexualmente, motivo esse que a deixa assustada com relação ao momento em que sua menstruação vier, já que estaria se tornando uma mulher. O homem também arruma motivos e razões ridículas para agredir a menina e controlá-la e a forma como seu comportamento acaba impactando o comportamento dela até a vida adulta é óbvia, principalmente quando percebemos que o seu marido é uma cópia do seu pai, sendo completamente abusivo e agressivo. Senti um nojo enorme quando podíamos ler o que se passava na cabeça do marido Tom, a forma como gostava dela ser submissa e de controlar a mulher pelo medo. As cenas sobre racismo que o Mike sofre ou que seu pai conta também são bem pesadas. Ben também passa por muita coisa por conta de seu peso, além de muitos outros momentos pesados. Então são temas pesados que podem deixar alguns bem desconfortáveis para com a leitura, até porque King é bem detalhista então as cenas são bem fáceis de se imaginar. 

FINAL

Olha, não vou mentir. De nota 5,0 eu daria a It, a Coisa uma nota 3,5 justamente por conta do final. As últimas 100 páginas do livro me decepcionaram em dois momentos e isso impactou muito a minha leitura. Mesmo amando demais o livro e entendendo os motivos pelos quais ele é considerado um dos melhores do autor e uma obra de arte, o final me deixou completamente besta. Além de nos ser empurrado goela abaixo toda aquela história da origem da Coisa, por conta disso o clima do livro muda completamente e tudo fica muito viajado e psicodélico, perdendo aquela aura assustadora. Isso sem contar NAQUELA CENA. Sim, a tão polêmica cena que fez todo mundo ficar de boca aberta quando começaram a comentar dela logo que anunciaram as adaptações mais recentes. Vou falar dela abaixo então como pode ser um spoiler, se prepara ou já pula pro fim do post.

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
* INÍCIO DO SPOILER *

O que foi aquela cena da orgia? Após derrotarem a criatura pela primeira vez, buscando uma forma de conseguirem sair dos esgotos de Derry que é o lar da Coisa, as crianças percebem que não conseguiriam fazer isso sem estarem realmente conectadas, visto que a Coisa tinha uma grande influência psíquica na cidade e em seus moradores (motivo pelo qual as muitas mortes do lugar nunca se tornarem conhecidas nacionalmente: as pessoas "deixam para lá" ou se esquecem por conta da Coisa que as controla mentalmente). Então, Beverly tem a ideia de que todos eles façam sexo com ela - OI? - para conseguirem se conectar e saírem dali, já que seria a primeira vez de todos e isso criaria um laço entre eles. A ideia funciona? SIM! Porém era totalmente desnecessária na história, o autor poderia inclusive pensado em algo que não fosse isso. A explicação - ou desculpa - seria a de que o autor estava sobre grande influência de drogas na época que escreveu a obra. E realmente, King passou por um problema muito sério com o vício por muitos anos e isso influenciou muitos de seus livros da época mas não sei, essa cena é totalmente desnecessária na obra e poderia facilmente ser descartada ou substituída. Parece que ele a colocou ali só para causar polêmica. E conseguiu!

* FIM DO SPOILER *


Bom, não se deixem influenciar pela minha opinião, claro. É apenas meu ponto de vista e esse livro é realmente uma obra-prima que merece toda a fama que tem. Inclusive é um livro de lei para quem gosta de terror ou dos livros do Stephen King. O segredo é apenas ir de coração aberto e aproveitar a leitura. 

Já leram esse ou algum outro livro do autor? Me conta o que achou. <3

3 comentários:

  1. Oi, Larissa como vai? Confesso à você que eu ainda lerei esse calhamaço chamado IT A COISA, embora eu não negue que, o tamanho do livro é assustador, inclusive eu tenho ele aqui em minha estante, porém ainda não o li por causa de seu tamanho exagerado. Outro fator que faz eu ir adiando esta leitura é o fato de eu já ter assistido aos dois filmes, o clássico da década de 90 e esse atual. Eu não gosto nem um pouco de assistir ao filme, para depois ler o livro. Eu particularmente prefiro o inverso. Contudo, devido a vários fatores fui na contramão de minha preferência com este livro do tio King. Eu já li alguns livros do Stephen, e gostei dos que eu li, muito embora alguns tenham me desagradado em certos aspectos, mas é inegável que o cara escreve muito e, consequentemente ele é sim o maior escritor da atualidade, mesmo não agradando todos. Até porque ele escreve TERROR não é mesmo, e este gênero desagrada grande parte dos leitores, principalmente as mulheres, visto que normalmente homens leem com mais frequência o gênero TERROR. Adorei o post. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. apesar de nao ter gostado nda dos filmes eu gosto dos livros do King e acho que esse aborda temas bem interessantes e tabus como vc disse, e tenho bastante curiosidade em ler apesar do calhamaço

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  3. Nunca li o livro nem vi os filmes, mas gostei da sua resenha.

    Bom fim de semana!

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir

Dicas de Fantasia

[Fantasia][stack]

3 motivos para ler

[3 motivos][grids]

dicas para blogs literários

[Dicas para bookstagram][btop]

lidos do mês

[lidos do mês][grids]