[RESENHA] O PLANETA DOS MACACOS

7 de fevereiro de 2020


Páginas: 216 |Editora: Aleph |Autor: Pierre Boulle | Ano: 2015| Gênero: Ficção-Científica, distopias.


Olá, Leitores! 

Esse ano de 2020 tem sido bem interessante para mim. Eu nunca tinha sido a maior fã de ficção-científica quando se tratava de literatura. Amo filmes do gênero mas ler sobre nunca me atraiu de verdade. Porém em janeiro, no meu aniversário, meu namorado me deu vários livros de presente, em torno de uns dez e pelo menos metade deles eram do gênero de sci-fi. Como nunca havia conhecido mais sobre tal tipo de leitura, resolvi dar uma chance. Li Guerra sem Fim de Joe Haldeman e em seguida, O Planeta dos Macacos de Pierre Boulle.

Enquanto em "Guerra sem Fim" a leitura foi um pouco arrastada por conta de certos trechos bem machistas e homofóbicos que apareciam vez ou outra na leitura me deixando um pouco desanimada para com o livro, "O Planeta dos Macacos" se tornou muito interessante.

A obra é muito conhecida por suas adaptações. Eu mesma assisti apenas a dirigida por Tim Burton do ano de 2001 e o filme de 2011 estrelado por James Franco. Sei que a adaptação dos anos 60 é a mais conhecida e elogiada porém ainda não a assisti. 

Nenhuma das obras que assisti se assemelha a trama do livro então a leitura se mostrou muito surpreendente e completamente diferente do que imaginei que seria. Aqui, o livro começa com um casal a bordo de uma nave. Eles encontram a deriva no espaço uma garrafa trazendo uma mensagem. Juntos então, os dois começam a ler as páginas para saciar a sua curiosidade para com o achado. 

"Confio este manuscrito ao espaço não com a finalidade de conseguir socorro, mas para ajudar, talvez, a banir o pavoroso flagelo que ameaça a raça humana."

As páginas foram escritas por Ulysse Mérou, um jornalista e o protagonista da obra. A partir de então, a narrativa passa a ser feita por ele, contando a sua história desde o início. Ele saíra da Terra em uma expedição junto com o professor Antelle e um jovem chamado Arthur Levian. Graças a uma tecnologia criada pelo professor, eles eram então capazes de viajar em uma enorme velocidade em um curto espaço de tempo para chegar ao seu destino. 

Nessa viagem eles encontram um planeta que se assemelha muito a Terra: clima, água, tudo. Porém enquanto exploram cautelosamente o local, ficam chocados quando encontram outros humanos por lá, porém ali eles não são uma espécie dotada de inteligência, dominando o local. Ali os seres humanos são selvagens, animais que não possuem nenhuma consciência, inteligência ou racionalidade. Não demora para que descubram que o planeta tem sim uma espécie inteligente e dominante porém não é a raça humana. Os macacos dominaram aquele planeta assim como os humanos fizeram aqui na Terra. 

Depois de um certo tempo, os humanos dali são caçados por gorilas. Nessa ocasião, Ulysse se perde do professor Antelle e vê Arthur ser morto junto de vários outros humanos, além dele mesmo ser capturado e levado para um laboratório de pesquisa. 

Achei MUITO interessante a forma como aqui o autor usou da inversão de papéis fazendo o leitor questionar sobre quem é o verdadeiro monstro. No laboratório, Ulysse vê todos os tipos de experimentos possíveis sendo feitos com outros humanos, experimentos esses muito semelhantes aos que nós fazemos com animais em laboratórios. Com medo de seu futuro ali e querendo se libertar, Ulysse decide então provar a sua inteligência para os macacos, mostrando que não é irracional como os outros humanos dali e durante todo esse processo dele dentro do laboratório, vamos aprendendo e entendendo mais sobre os símios, desvendando os motivos que fizeram com que virassem uma espécie dominante. 

"Eu assistia a caçada - participava dela também, ai de mim! -, uma caçada fantástica em que os caçadores, postados a intervalos regulares, eram macacos, e a caça acuada, constituída por homens e mulheres como eu, homens e mulheres cujos cadáveres nus, esburacados, contorcidos em posições plausíveis, ensanguentavam o solo."

Esse livro se mostrou muito mais interessante do que esperei que seria. Somos colocados a enxergar com outros olhos o tratamento dado aos animais em laboratórios e como nós, humanos, nos colocamos sozinhos em um pedestal como espécie dominante aqui no planeta. 

O final do livro foi bem surpreendente para mim, já que não esperava o que estava para acontecer. Não me lembro do final dos dois filmes que assisti mas como eles não eram semelhantes em nada com relação ao livro, não acho que o final seja o mesmo. Foi uma boa leitura, surpreendente e diferente.

Só tenho que reclamar da capa da obra. É de um papel frágil apesar da grossura, do tipo que amassa e fica puído nas bordas facilmente então se você coloca seus livros na mochila, provavelmente as bordinhas vão ficar bem gastas rapidamente. Fora isso, gostei que as páginas são grossas e a fonte tem um tamanho grande. 


Comente com o Facebook:

3 comentários:

  1. Oi, Larissa tudo bem? Infelizmente este livro eu ainda não tive o prazer de lê-lo. Digo prazer porque acredito que deva ser uma leitura agradabilíssima, vejo muito elogios à este livro, inclusive a sua na resenha. Eu assisti ao filme, lembro que, até gostei do que vi, muito embora eu esperasse mais do longa metragem. Adorei a resenha e pretendo ler este livro futuramente. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Oi Larissa,
    Eu não leio tanta ficção científica. Na verdade, nem filmes sobre o tema chamam tanto minha atenção. Acredita que eu nunca nem assisti Planeta dos Macacos? KKKKKKK
    ME JULGUE!
    Beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Hey Larissa! Tudo bem?
    O filme é realmente muito famoso, e eu não sabia que era baseado no livro.
    Obrigada por comentar lá no blog.
    Volte sempre!

    | Blog Misto Quente |

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.