[RESENHA] A Ordem do Faraó

7 de julho de 2019

Olá Leitores!

Páginas: 300 |Editora: Viseu |Autor: Herlon Oliveira | 
Ano: 2018


A Ordem do Faraó é uma obra nacional e cheia de mistérios. Antes de ler, criei mil teorias do que se tratava o livro. Será se passa realmente no Egito? Haverá descrições de tempos atrás quando existiam faraós? Esses foram os questionamentos principais, mas a história segue um rumo diferente das minhas teorias.

Logo nas  primeiras páginas é evidente que o mistério é um dos pontos principais do livro e tudo o que sabemos são pedaços da história. Conhecemos 3 personagens que irão ser os principais: Liah, Pablo e Marc. Eles moram em diferentes cantos do mundo: Rússia, México e Inglaterra respectivamente. Os três possuem a mesma coisa em comum: seus pais sabem de algo secreto que pode mudar o mundo e alguns encontram pistas sobre algo referente a uma certa Ordem de Faraó.

Inevitavelmente, os três principais são levados por essa onda de mistério e percebem que sim, há algo super secreto que eles não sabem, mas com a contribuição deles ou não, pode mudar o mundo para melhor ou para pior. Cada personagem colocado é na trama com uma contribuição específica e não há pontas soltas na história. Não poderei falar muita coisa sobre o grande mistério envolvendo a ordem de Faraó apresentada no livro, pois seria um spoiler enorme, mas quando enfim os mistérios são revelados, tudo começa a se encaixar para o leitor.

O livro é narrado pelos olhos desses três personagens e a que mais gostei foi Liah, ela é uma prodígio e hacker, o que me lembrou bastante de Lisbeth Salander, a protagonista da trilogia Millenium. Uma das coisas que mais me chamaram atenção foi toda a construção da ordem em  cima da cultura egípcia. Li tão poucos livros que remetem ao Egito que foi uma experiência ótima conhecer mais sobre ela. Lendo a obra, percebi um pouco de ficção entrelaçada ao suspense oferecido dando um toque ainda melhor à história.



Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.